wesley pioest

Pintar em Marina é gesto plural. Essência e memória, rio vário e caudaloso da criação. É o dom, algo telúrico, se manifesta profundo, se revela intuitivo e denso no seu jeito natural de viver. A pintura pra Marina é absoluto prazer. Êxtase prolongado do espírito, rarefeito em tintas e matizes, o ofício do pintor, gesto cromático de resistência ao tempo que se adivinha ser a tentativa de se desvendar o mistério desconhecido da aventura humana. A pintura de Marina é simples, emotivamente genuína, sem o entalhe rebuscado das técnicas e planos convencionais, mas de uma convicção estética admirável. E antes, muito antes, um poema transbordante de passado e sonho. Que cumpre escutar com os olhos.

Wesley Pioest

Poeta